4 de novembro de 2010

só o hoje

a partir de hoje
só quero dias
serenos
e bem pequenos
que caiba
no meu bolso
ou quem sabe
nos meus olhos

a partir de hoje
só quero lavar
os pratos
passar pano molhado
no chão
dia sim, dia não
e encher o pote
de água fria

a partir de hoje
quero ficar na varanda
vendo a chuva
fina descer pela
calçada afora

a partir de hoje
só o dia de hoje
e nada mais

3 comentários:

Anônimo disse...

Que poema lindo, Mauro!
Um abraço grande,
Monica Martinez

Poeira Viajante disse...

E como seria bom ter um dia assim! Mesmo que fosse só no dia de hoje. Parabéns pelo poema, muito bom, Mauro. Abraços Marina Toledo - Poeira Viajante http://poeiraviajante.blogspot.com/

Úrsula Avner disse...

Olá Mauro, singelos e adoráveis versos... Grata por sua visita e comentário, suas palavras emocionaram-me. Grande abraço.